News

12/07
2005

Exportação de básicos sobe 55,9% em julho e semana tem saldo recorde

As exportações de produtos básicos reagiram e levaram o saldo da balança comercial a um novo recorde semanal, de US$ 1,33 bilhão na segunda semana de julho. Após registrar alta de apenas 8% no primeiro semestre e queda de 13% em junho, as vendas externas destes bens tiveram alta de 55,8% no acumulado de julho sempre em relação ao mesmo período do ano passado. Considerando apenas a segunda semana de julho, o total das vendas externas atingiu US$ 2,68 bilhões (maior resultado semanal de 2005) e as compras somaram US$ 1,35 bilhão.
12/07
2005

Ministros se reúnem para desbloquear negociação

A retomada das negociações da Organização Mundial do Comércio (OMC) depende dos progressos que ministros de cerca de 30 países forem capazes de fazer na reunião de hoje e amanhã em Dalian, China. "Os avanços não são suficientes para a reunião em Hong Cong e não vejo o que pode ajudar a desbloquear a situação", disse o diretor da OMC aos 148 países-membros. O ministro Celso Amorim participa do encontro, no qual o G-20 tenta buscar um consenso sobre os cortes de tarifas para produtos agrícolas.
12/07
2005

PIS/Cofins no importado

A Receita Federal publicou uma instrução normativa que prevê nova fórmula para o cálculo do PIS/Cofins de produtos e serviços importados. De acordo com a nova norma, as contribuições passam a incidir apenas sobre o valor aduaneiro. Antes, incidia também sobre as despesas aduaneiras e sobre o próprio PIS/Cofins, criando uma cobrança cíclica com o ICMS.
18/05
2005

Política do BC impede o crescimento, diz Lessa

"O modelo de metas monetárias adotado pelo Banco Central (BC) impede o Brasil de crescer", afirmou o professor de Economia da UFRJ e ex-presidente do BNDES Carlos Lessa. Segundo ele declarou ao programa Conjuntura Econômica, da "TV Cultura", o regime monetário estabelece que um crescimento do PIB acima de 3% provocaria inflação. "Nesse sentido, para o BC é intolerável que o Brasil cresça acima de 3% ao ano." O ex-presidente do BNDES defende uma maior participação do Estado na economia, por meio de um aumento dos investimentos públicos. "Infelizmente, a taxa de investimentos no Brasil caiu muito", frisou Carlos Lessa. "Quando o Brasil crescia 6% a 7% ao ano, ela andava em torno de 23% do PIB, agora é de 18% a 19% do PIB", contabilizou o professor. "Esse crescimento rastejante é que é assustador."
18/05
2005

Brasil insiste em rejeitar salvaguardas comerciais argentinas

O ministro brasileiro de Fazenda, Antônio Palocci, insistiu em rejeitar as salvaguardas propostas pela Argentina para o comércio bilateral porque "são contrárias" às metas do Mercosul, cujos outros parceiros são Paraguai e Uruguai. Em entrevistas publicadas nesta pelos diários Clarín e La Nación, Palocci admitiu que há "dificuldades", mas considerou que "a solução (dos conflitos bilaterais) se aproxima".