News

19/07
2005

Para analistas, BC não mudará taxa Selic

Os analistas do mercado voltaram a reduzir sua projeção de inflação para este ano. Mas, mesmo assim, apostam que a taxa básica de juros da economia (Selic) será mantida em 19,75% ao ano amanhã, ao fim da reunião do Comitê de Política Monetária (Copom) do Banco Central (BC), que começa hoje. Alguns economistas acreditam que o recuo nas projeções de inflação e que a estabilidade dos preços nas últimas semanas abrem espaço para um corte de juros já este mês.
19/07
2005

Superávit comercial bate em US$ 22 bi, apesar do dólar baixo

Os números do comércio exterior brasileiro continuam positivos e o saldo da balança supera os US$ 22 bilhões no ano, apesar do recuo na cotação do dólar, que há mais de um mês está abaixo de R$ 2,40. Até a terceira semana de julho, o superávit comercial, diferença entre exportações e importações, está em US$ 22,369 bilhões, um crescimento de 34% sobre o registrado no mesmo período do ano passado. O saldo acumulado no ano é resultado de exportações de US$ 59,433 bilhões, menos importações de US$ 37,064 bilhões.
19/07
2005

Contra a Super-Receita, fiscais prometem parar

Movimento sindical planeja uma greve nacional de 72 horas a partir de amanhã. O anúncio da criação de uma estrutura que vai reunir num mesmo órgão a Receita Federal e a Secretaria da Receita Previdenciária, do Ministério da Previdência, previsto para esta semana - já chamada de Super-Receita -, desagradou aos técnicos da Receita Federal, que planejam uma paralisação de 72 horas para amanhã, dia 20. O novo órgão, que deverá responder ao Ministério da Fazenda, deverá ser criado por Medida Provisória ou projeto de lei. As categorias de servidores das Receitas Federal e Previdenciária protestam por não ter participado das discussões do novo órgão e têm dúvidas como ficarão as atribuições e os acordos trabalhistas. Em uma carta aberta, o Sindireceita - Sindicato Nacional dos Técnicos da Receita Federal, diz temer pelas carreiras dos servidores envolvidas no processo - técnicos e auditores fiscais da Receita e auditores previdenciários. Paulo Antenor de Oliveira, presidente do Sindicato, faz críticas à prematuridade do processo.
15/07
2005

Brasil teve maior inflação do Mercosul em 2004

O IBGE, e órgãos semelhantes dos outros quatro países-membros do Mercosul divulgou pela primeira vez o IPCH - Índice de Preços ao Consumidor Harmonizado. Segundo os parâmetros de comparação das taxas de inflação dos países do bloco ? Brasil, Argentina, Uruguai, Paraguai e Chile ? o Brasil registrou a maior inflação em 2004. O novo indicador, divulgado simultaneamente em todos estes países, leva em consideração a evolução dos preços de 12 bens de consumo e serviços de cada país. No Brasil, o IPCH acumulado em 2004 foi de 7,7%. O Uruguai veio a seguir com inflação de 7,3%, depois Argentina, onde a taxa foi de 6,0%, e Paraguai, 2,9%. O Chile registrou a menor taxa, de 2,6% no ano passado. No acumulado de janeiro de 2000 a dezembro de 2004, o País registrou a segunda maior taxa (53,5%), perdendo apenas para o Uruguai (63,2%). A seguir vieram Argentina (52,9%), Paraguai (51,7%) e Chile (16,1%).
15/07
2005

Amorim defende maior parceria com a Argentina

"O Brasil deveria fazer mais do que já faz para fortalecer a cooperação econômica com a Argentina porque temos com ela um relacionamento estratégico", declarou o chanceler Celso Amorim em entrevista concedida à imprensa ontem em Paris, ao abordar as críticas das autoridades argentinas às posições brasileiras na América Latina e nos organismos internacionais. "Da Argentina, deveríamos comprar mais petróleo, mais trigo, realizar compras governamentais, fazer investimentos lá, através do BNDES e do setor privado numa política industrial comum, compatível com as necessidades de expansão do Mercosul", acrescentou, lembrando que o assunto já foi tratado em recente reunião do Conselho do Desenvolvimento Econômico e Social, com a presença do ministro José Dirceu.