News

13/10
2005

Superávit da balança já é o maior da história

A balança comercial já acumula, até o início deste mês, saldo superior ao registrado ao longo de 2004. Entre janeiro e a primeira semana de outubro deste ano, as exportações brasileiras haviam superado as importações em US$ 33,746 bilhões - em todo o ano passado, o superávit ficou em US$ 33,666 bilhões. Caso não haja déficit nos próximos meses - hipótese pouco provável, dados os últimos resultados do comércio exterior-, a balança comercial encerrará 2005 com saldo recorde pelo terceiro ano seguido, pois os superávits de 2003 e de 2004 já haviam sido os maiores alcançados pelo Brasil. Os recordes da balança refletem, principalmente, o bom desempenho das exportações. Na semana passada, o país vendeu para o exterior uma média de US$ 565 milhões por dia útil. Ao longo de todo o mês de setembro, a média ficou em US$ 506 milhões, ou seja, houve um crescimento de 11,7% nesse intervalo.
13/10
2005

Competitividade perde sem a MP do Bem

Suspensão das medidas mantém obstáculos ao crescimento da economia. A perda da validade da Medida Provisória 252, a chamada MP do Bem, a partir de hoje, vai gerar incerteza sobre decisões de investimentos e manter os obstáculos ao aumento da competitividade da economia brasileira e ao crescimento do Produto Interno Bruto (PIB). Essa é a avaliação de lideranças empresariais consultadas por este jornal, que alertam para as "graves conseqüências" da manobra da bancada governista na Câmara dos Deputados, na terça-feira, evitando a conclusão da votação do texto, editado há exatos 120 dias e bastante alterado durante a tramitação no Congresso Nacional.
11/10
2005

Paralisação de auditores vai até quinta-feira

Os auditores-fiscais da Receita Federal iniciaram ontem uma nova paralisação de 96 horas em todo o país. Assim, pelo menos até quinta-feira, dia 13 deste mês, os auditores permanecerão em greve. Na sexta-feira, dia 14, será realizada uma nova assembléia da categoria para avaliar o movimento. Conforme assembléias realizadas na sexta-feira em todo o país, os auditores entraram em greve "como advertência contra os riscos, as ilegalidades e os efeitos nocivos da MP nº 258, que cria a "Super-Receita'". Para a presidente do Unafisco São Paulo, Carmen Cecília Bressane, "é incompreensível a urgência para fazer essa fusão de dois órgãos que vêm desempenhando bem o seu papel". De maneira geral, a categoria está retardando o lançamento dos autos de infração, que são os créditos tributários e ingressos de recursos para a União. Esse retardamento atinge também os termos de notificação aos contribuintes e o resultado das auditorias. Segundo o Unafisco São Paulo, a paralisação compromete as metas futuras de fiscalização e arrecadação, pois o trabalho da fiscalização só repercute na arrecadação meses depois.
11/10
2005

Camex defende volumes maiores para País crescer

O volume de importações brasileiras está aquém do desejável para impulsionar um maior crescimento econômico do País. A opinião é do secretário-executivo da Câmara de Comércio Exterior (Camex), Mário Mugnaini, que disse ontem acreditar que, ao dobrar os patamares de compras externas, a expansão econômica do Brasil pode seguir o mesmo ritmo. Na sua avaliação, especificamente neste ano, quando o superávit comercial deverá alcançar US$ 41 bilhões, o Brasil deveria consumir mais US$ 10 bilhões em produtos vindos do exterior, além do que está sendo previsto até o momento. Desta forma, o nível de importações deveria fechar o ano em US$ 86 bilhões, e, não, em US$ 76 bilhões conforme estimativa oficial do governo.
11/10
2005

Balança comercial tem saldo positivo de US$ 1,075 bilhão na semana

A balança comercial na primeira semana de outubro apresentou superávit (diferença positiva de exportação menos importação) de US$ 1,075 bilhão. As exportações totalizaram US$ 2,826 bilhões, com média diária de US$ 565,2 milhões. As importações chegaram a US$ 1,751 bilhão, alcançando a média diária de US$ 350,2 milhões. No ano, as exportações acumulam US$ 89,546 bilhões e as importações, US$ 55,8 bilhões, com um saldo positivo de US$ 33,746 bilhões.