News

20/07
2005

SP amplia para ICMS facilidades da MP do Bem

O Estado de São Paulo publicou um decreto que, na prática, estende facilidades do ICMS - Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços às indústrias paulistas beneficiadas pela "MP do Bem", medida do governo federal que suspendeu a cobrança de tributos a empresas altamente exportadoras. São Paulo irá conceder suspensão do ICMS na importação de insumos em território paulista, além do diferimento do imposto na aquisição de insumos adquiridos de fornecedores paulistas. As facilidades ficarão restritas às empresas reconhecidas pela legislação federal como "preponderantemente exportadoras" e que já estejam previamente habilitadas pela Receita Federal, com a suspensão dos tributos federais. As preponderantemente exportadoras são as que têm 80% ou mais de sua receita bruta originadas das exportações.
20/07
2005

Juro real brasileiro continua a ser o mais alto do mundo

Apesar de o Comitê de Política Monetária (Copom) ter encerrado no mês passado o ciclo de alta da taxa Selic, em 19,75% ao ano, o juro real do Brasil continua em alta e ocupa, com folga, a liderança do ranking mundial. Levantamento da consultoria GRC Visão mostra que a taxa brasileira - descontada a inflação projetada para os próximos 12 meses - alcançou 14,1% ao ano, quase três vezes o juro de 5,1% do segundo colocado, a Hungria.
20/07
2005

Brasil quer elevar a TEC do Mercosul para alguns produtos

O ministro do Desenvolvimento, Luiz Fernando Furlan, afirmou nesta terça-feira, durante a Francal (Feira Internacional de Calçados, Acessórios de Moda, Máquinas e Componentes), que o governo brasileiro pretende elevar para 35% a TEC (Tarifa Externa Comum) do Mercosul para a importação de alguns produtos, como calçados e outros bens de consumo.
19/07
2005

Para analistas, BC não mudará taxa Selic

Os analistas do mercado voltaram a reduzir sua projeção de inflação para este ano. Mas, mesmo assim, apostam que a taxa básica de juros da economia (Selic) será mantida em 19,75% ao ano amanhã, ao fim da reunião do Comitê de Política Monetária (Copom) do Banco Central (BC), que começa hoje. Alguns economistas acreditam que o recuo nas projeções de inflação e que a estabilidade dos preços nas últimas semanas abrem espaço para um corte de juros já este mês.
19/07
2005

Superávit comercial bate em US$ 22 bi, apesar do dólar baixo

Os números do comércio exterior brasileiro continuam positivos e o saldo da balança supera os US$ 22 bilhões no ano, apesar do recuo na cotação do dólar, que há mais de um mês está abaixo de R$ 2,40. Até a terceira semana de julho, o superávit comercial, diferença entre exportações e importações, está em US$ 22,369 bilhões, um crescimento de 34% sobre o registrado no mesmo período do ano passado. O saldo acumulado no ano é resultado de exportações de US$ 59,433 bilhões, menos importações de US$ 37,064 bilhões.