News

03/08
2005

Furlan se mostra surpreso com baixo crescimento da importações

O ministro do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior, Luiz Fernando Furlan, se disse surpreso com o baixo crescimento das importações e afirmou nesta terça-feira que o presidente Luiz Inácio Lula da Silva teria considerado o superávit comercial de julho "demasiado". "É surpreendente que as importações não estejam crescendo de forma vigorosa neste momento", disse Furlan em seminário em Brasília, destacando que a taxa de câmbio está favorável às compras externas
03/08
2005

Desburocratizar para crescer

O crescimento das exportações brasileiras está proporcionando ao País equilibrar suas contas externas e estimular o crescimento dos setores vinculados ao comércio internacional. Porém é preciso lembrar que nossa participação no comércio mundial se restringe a apenas 1,1%, porcentual ínfimo, se considerarmos o potencial de exportações em diversos segmentos. Para entender o porquê de tão pequena fatia, vale recordar que, somente há alguns anos, se iniciou um processo de liberalização no comércio internacional, mas ainda persistem altas barreiras tarifárias e não-tarifárias. Além disso, o Brasil ingressou tardiamente na economia globalizada, somente no início dos anos 1990.
02/08
2005

Certificado de Origem On-line

Dia 08 de agosto a FIESP lançará um mecanismo inédito para emissão de certificados de origem on-line, reduzindo o prazo de finalização dos processos de até 72 horas para, no máximo, 1 hora. O novo sistema desenvolvido por especialistas da entidade, é o único no mundo que dispõe de um selo de segurança inviolável.
02/08
2005

País exporta mais itens tecnológicos

Apesar de ter uma participação ainda modesta na pauta de exportações do país, o setor industrial intensivo em tecnologia aumentou sua expressividade. No primeiro semestre deste ano, o segmento contribuiu com 9% do crescimento das exportações no período. Nos primeiros seis meses de 2004, a contribuição foi de 7,5%, segundo estudo elaborado pelo Iedi - Instituto de Estudos para o Desenvolvimento Industrial. Por trás do incremento da relevância da indústria intensiva em pesquisa e desenvolvimento está o dinamismo da indústria automobilística e de celulares, que estão, respectivamente, nas categorias de média-alta e alta intensidade tecnológica.
02/08
2005

Não há inflação de demanda, diz Furlan

O ministro do Desenvolvimento, Luiz Fernando Furlan, afirmou que não existe uma inflação de demanda no país. Para o ministro, essa é uma "variável importante" que deve ser considerada na "equação" da taxa de juros do país. "Praticamente qualquer produto que se queira comprar, no Brasil ou no exterior, está disponível sem dificuldades", disse Furlan. Com os índices de inflação em queda, existe uma expectativa do setor produtivo de que o Banco Central comece a baixar as taxas de juros do país no segundo semestre. De acordo com Furlan, uma evidência de que não há uma inflação de demanda no país é a relatividade estabilidade das importações brasileiras, mesmo com a valorização do real. "É surpreendente que as importações estão crescendo abaixo do esperado, apesar do câmbio", afirmou o ministro. "Se houvesse uma inflação de demanda, as importações estariam crescendo, aproveitando o preço unitário menor", completou. As importações brasileiras aumentaram apenas 1,2% em julho ante junho, segundo a Secretaria de Comércio Exterior. Valor Econômico