News

07/08
2020

Especialista defende uso de tecnologia para identificar cargas perigosas abandonadas no Porto

Utilizar a tecnologia para identificar produtos químicos perigosos no Porto de Santos e dar destinação adequada e rápida para cargas abandonadas no cais santista. Estas são algumas ações que devem ser tomadas imediatamente, segundo o consultor portuário Hélio Hallite. "Mercadoria perigosas não podem morar no porto e porto é lugar de passagem e não de armazenagem", destacou o especialista em comércio exterior. Ele se refere à carga de nitrato de amônio que ficou armazenada por mais de seis anos no complexo portuário de Beirute, no Líbano, e causou uma explosão, na última terça-feira. Para o professor universitário, o ideal é que seja adotado um protocolo mais preciso e inteligência de rastreamento de cargas, especialmente as controladas pelo Exército. Para isso, o especialista sugere o mesmo tratamento utilizado no combate ao narcotráfico, com o escaneamento de mercadorias. Clique para Visualizar

< Back
Other News